Cirurgia de Catarata

O tratamento da catarata é essencialmente cirúrgico e consiste na remoção do cristalino doente. Atualmente, as técnicas estão mais modernas e seguras, garantindo uma recuperação extremamente rápida. facoemulsificação. Com esta técnica, todo o cristalino é aspirado através de uma microincisão (que normalmente varia entre 1.4 a 2.75mm de tamanho), aumentando a segurança do procedimento. O cristalino é, então, removido e substituído por uma lente intra-ocular. A cirurgia de catarata com a microincisão permite uma recuperação da visão quase imediata, sem a necessidade de ponto (sutura). A técnica permite, na maioria dos casos, a diminuição da necessidade do uso de óculos para longe e para perto, associado a lentes intra-oculares especiais (multifocais, acomodativas e tóricas).

Atualmente, o procedimento de facoemulsificação sofreu um avanço tecnológico com o advento da cirurgia a laser ( Femto Laser). Este laser consegue fazer incisões precisas nos olhos, reduzindo o tempo de recuperação e o risco de complicações.

Com o Femto Laser, o cirurgião pode programar com precisão todas as etapas da cirurgia, fazendo com que elas sejam facilmente planejadas, personalizadas e executadas.

O equipamento também pode ser usado para correção de miopia, astigmatismo ou hipermetropia. Ele reduz o risco de infecções, já que elimina o contato entre olhos e lâminas, e ainda possibilita um aumento da precisão em relação à espessura do disco, com variações mínimas.

É, sem dúvida, uma evolução na arte da cirurgia de catarata.

Cirurgia Refrativa à Laser

A Cirurgia Refrativa a laser é o procedimento cirúrgico para correção do “grau dos óculos” (miopia, astigmatismo e ou hipermetropia) feita por meio de um equipamento chamado Excimer Laser através do modo PRK ou do LASIK, dependendo da indicação para cada paciente. O uso do laser torna a cirurgia rápida e precisa permitindo o retorno em poucos dias às atividades sociais e profissionais.

Aparelhos de última geração e a experiência do oftalmologista especialista em Cirurgia Refrativa, fazem com que a previsibilidade, a segurança e a estabilidade da cirurgia refrativa a laser tornem-se mais altas.

Plástica Ocular

Plástica Ocular, também conhecida como oculoplástica, é uma subespecialidade da oftalmologia  que cuida da região peri-ocular e frontal, no terço superior da face. A Cirurgia Óculo-plástica é muito diversificada e abrange tanto a área da pálpebra como as vias lacrimais e a órbita.

Existem diversas técnicas que têm como foco o respeito à integridade do globo ocular e da função visual:

  • Cirurgia Reconstrutiva – tratamento de tumores;
  • Cirurgia Reparadora – tratamento de feridas e as más-posições;
  • Cirurgia da Ptose – tratamento para a pálpebra caída;
  • Cirurgia das Retrações – faz parte do quadro de tratamento da tireóide.

Vias Lacrimais

O canal lacrimal conecta o olho ao nariz e é responsável pelo escoamento da lágrima. A obstrução das vias lacrimais causa lacrimejamento e/ou secreção, dependendo do local onde se encontra a obstrução.
A obstrução congênita das vias lacrimais acomete recém-nascidos e causa lacrimejamento e secreção ocular importante. A obstrução adquirida das vias lacrimais causa desconforto, lacrimejamento e secreção em adultos, nesses casos, o tratamento é cirúrgico.

A obstrução adquirida das vias lacrimais pode acometer a parte alta da via lacrimal causando lacrimejamento apenas, ou pode ser na porção baixa da via lacrimal, nesse caso, o lacrimejamento usualmente está acompanhado de secreção ocular.

Transplante de Córnea

A córnea é uma estrutura transparente localizada na parte anterior do olho. Ela permite que as imagens do meio externo penetrem no olho e sejam captadas pela retina. Para o bom funcionamento da córnea, é necessário que a mesma tenha transparência satisfatória e curvatura adequada.

O transplante de córnea é indicado quando a transparência ou a curvatura da córnea estejam alteradas, não permitindo uma boa visão.

Ele consiste na substituição da córnea alterada por uma córnea doadora que mantenha boas condições.

Anel Intracorneano para Ceratocone

O Anel de Ferrara é também utilizado como coadjuvante no tratamento do CERATOCONE, facilitando a possibilidade de adaptação de uma correção óptica. Esta técnica consiste na implantação de uma prótese de acrílico na intimidade do tecido corneano de modo a alterar a curvatura da córnea na quantidade necessária para a correção da ametropia que se deseja obter.

Esta é uma técnica reversível, que pode ser ajustada em caso de correção inadequada, através da troca da prótese, óculos ou lentes de contato. O anel poderá ser removido em qualquer época sem prejuízo para saúde da córnea.

Anéis intracorneanos para correção do ceratocone podem ser uma alternativa para estes pacientes que não toleram o uso de lentes de contato e que não desejam enfrentar os riscos de um transplante de córnea.

Cross-Linking para Ceratocone

Cross-linking com riboflavina é atualmente realizado internacionalmente para o tratamento de uma variedade de condições, incluindo ceratocone e degeneração marginal pelúcida.

O cirurgião pinga riboflavina (uma vitamina B) sobre a córnea após a remoção do epitélio (“epi off”) ou na presença do mesmo (“epi on” – transepitelial). Uma vez saturado com riboflavina, a córnea sofre irradiação com luz ultravioleta (UV) que, dependendo da técnica empregada, varia de 5 a 30 minutos. Este tratamento restaura a espessura corneana (“endurece”) anormalmente  afilada (fraca), principalmente na parte  anterior da cornea, criando laços fortes (ou cross-links) entre as fibras de colágeno da córnea. Estas ligacões tornam a córnea estruturalmente mais forte e rígida.

Entre em contato e agende a sua consulta!


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/vistasantos/www/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405